Ementas

As ementas são genéricas. O conteúdo específico de cada semestre será disponibilizado ao aluno na ocasião.

Dialética I

A tarefa de reconstrução do pensamento dialético em um projeto contemporâneo de sistema de filosofia deve ser contextualizada historicamente. É o que faremos neste semestre, focando a vertente dogmático-sistemática desta rica tradição filosófica.   

 

Dialética II

A cada semestre dedicado à contextualização histórica do projeto de atualização do pensamento dialético segue um de caráter sistemático.  Neste semestre examinaremos a abordagem dialética em epistemologia.

 

Dialética III

A disciplina contribui com a contextualização histórica do projeto de atualização crítica da filosofia dialética. Nosso tema será a vertente cética desta rica tradição de pensamento.  

 

Dialética IV

A abordagem dialética em ontologia é o tema deste semestre. Investigaremos as conseqüências deflacionárias da crítica imanente à ontologia dialética legada pela tradição.

 

Dialética V

Examinaremos a vertente crítico-sistemática ou falibilista do pensamento dialético, que busca uma síntese das vertentes cética e dogmático-sistemática  examinadas em outros semestres. A disciplina dá continuidade à tarefa de contextualização histórica do projeto de sistema.

 

Dialética VI

Neste semestre iluminaremos a terceira das áreas que configuram o projeto de sistema de filosofia em seu todo, quer dizer, a ética. Qual a teoria dialética do bem e seu impacto para as disciplinas que querem iluminar as distintas esferas do dever-ser, a ética, o direito e a filosofia (como modo de vida)?

 

Dialética VII 

A disciplina quer esclarecer o contexto histórico mais recente em que se insere a tarefa de reconstrução crítico-sistemática da rica tradição dialética de pensamento. Também buscamos lançar luzes sobre o futuro próximo: como pensar a dialética hoje?

 

Dialética VIII 

A nova ontologia dialética pode ser alcançada por duas vias, à primeira vista antagônicas, mas na verdade trajetórias complementares de um e o mesmo movimento de deflação da ontologia clássica.  A via descendente, que parte da reconstrução crítica da tradição dialética de filosofia e segue na direção das ciências particulares, é abordada nas disciplinas Dialética II, Dialética IV e Dialética VI. Neste semestre seguiremos o caminho inverso, a via ascendente: como a ciência de ponta está fazendo renascer a ontologia dialética?

Leituras

Dialética descendente

Da filosofia às ciências particulares

Brandom R. Making it Explicit. Reasoning, Representing and Discursive Commitment. Cambridge: Harvard University Press; 1998.

Cirne-Lima C. Sobre a Contradição. Porto Alegre: Edipucrs; 1993.

Cirne-Lima C. Depois de Hegel. Uma reconstrução crítica do sistema neoplatônico. Caxias do Sul: Educs; 2006.

Cusa N de. A Douta Ignorância. Porto Alegre: Edipucrs; 2002.

Hegel GWF. Werke in zwanzig Bänden. 2nd ed. Moldenhauer E, Michel KM, editors. Frankfurt am Main: Suhrkamp; 1990.

Hegel GWF. Enciclopédia das Ciências Filosóficas em Compêndio (1830). São Paulo: Loyola; 1995.

Hegel GWF. Fenomenologia do Espirito. Petrópolis: Vozes; 1992.

Leibniz GW. Principes de la nature et de la grâce fondés en raison Principes de la philosophie ou monadologie. 3rd ed. Robinet A, editor. Paris: Presses Universitaires de France; 1986.

Leibniz GW. Princípios de Filosofia ou Monadologia. Lisboa: Universidade Nova de Lisboa/Casa da Moeda; 1987.

Luft, E. Cf. Publicações.

Luft E, Cirne-Lima C. Ideia e movimento. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira; 2012.

Platão. Diálogos de Platão. Edição Bilíngüe. Belém: Editora da Universidade Federal do Pará; s/d.

Schelling FWJ. Ausgewählte Schriften in 6 Bänden. 2nd ed. Frank M, editor. Frankfurt am Main: Suhrkamp; 1995.

Schelling FWJ. Obras Escolhidas. São Paulo: Abril Cultural; 1979.(Os Pensadores)

Outras sugestões em dialética descendente

Dialética ascendente

Das ciências particulares à filosofia

Arthur WB. Complexity in economic and financial markets: Behind the physical institutions and technologies of the marketplace lie the beliefs and expectations of real human beings. Complexity. 1995;1(1):20–5.

Barabási A-L. Linked. The New Science of Networks. Cambridge: Perseus; 2002.[Linked.  A Nova Ciência dos Networks]

Bar-Yam Y. Complexity rising: From human beings to human civilization, a complexity profile. Encyclopedia of Life Support Systems. United Nations; 2002.

Beinhocker ED. The Origin of Wealth. Evolution, Complexity and the Radical Remaking of Economics. Fortune. Boston: Harvard Business School Press; 2006.

Cirne-Lima C, Rohden L, Helfer I. Dialética, Caos e Complexidade. São Leopoldo: Editora Unisinos; 2004.

Cirne-Lima C, Rohden L, editors. Dialética e Auto-organização. São Leopoldo: Editora Unisinos; 2003.

Kauffman SA. The Origins of Order. Self-Organization and Selection in Evolution. New York: Oxford University Press; 1993.

Kauffman SA. Investigations. New York: Oxford University Press; 2000.

Leoni, Bruno. Liberdade e a lei. São Paulo : Instituto Ludwig von Mises Brasil, 2010.

Smolin L. The Life of the Cosmos. New York: Oxford University Press; 1997 [A Vida do Cosmos] .

Solé, R.V.; Corominas-Murtra, B., Valverde, S. and Steels L. Language Networks: their structure, function and evolution.   Complexity. 2010;15(6):20–6.

Outras sugestões em dialética ascendente